Sindicato dos Bancários de Bragança Paulista e Região    |    30 anos    |    1986 - 2021     |
                 

Notícias

COMPARTILHE:


“Monstros” do Assédio ameaçam empregados no Bradesco
Seeb Bragança, com informações de José Arnaldo Ol | Bragança Paulista - 24/03/2017

Sindicato dos Bancários de Jundiaí realizou manifestação contra o Assedio Moral em frente à agência 0150. Ao mesmo tempo, diretores do Seeb Jundiaí e do Seeb Bragança estavam reunidos com Relações Sindicais do banco.


Foto: Seeb Jundiaí

Uma intervenção com pessoas simbolizando fantasmas e zumbis ocupou a agência regional do Bradesco da Rua Barão de Jundiaí, no centro de Jundiaí, na tarde do último dia 21, em protesto organizado pelo Sindicato dos Bancários de Jundiaí, contra o assédio moral.

O assédio moral pressupõe exigências excessivas e pressão psicológica do chefe sobre seu subalterno. Nesse caso, o alvo foi um gerente regional do Bradesco nas regiões de Jundiaí e Bragança Paulista, que foi denunciado no mesmo momento do ato em uma reunião em São Paulo.

O ato foi registrado por muitos clientes e moradores. Além de fantasmas e zumbis, havia um caixão e bexigas pretas com a frase “aqui tem assédio moral”.

Os dirigentes sindicais denunciaram os efeitos desse tipo de assédio, informando muitos trabalhadores estão afastados problemas de saúde física e mental.

Funcionários que deixavam a agência durante o ato confirmavam em relatos informais que o problema existe.

Um dos maiores desafios do combate ao assédio moral é que os empregados procuram ajuda somente nos momentos mais extremos. De acordo com o sindicato, é comum receber denúncias de empregados de bancos públicos. Mas crescem os registros de assédio nos bancos privados, que seguem batendo recordes de lucratividade mesmo com a crise.

Denuncie!
A orientação é registrar detalhes de ligações telefônicas, fazer cópia de mensagens ou documentos que comprovem abusos, evitar conversar sozinho com o assediador e buscar apoio de colegas de trabalho, sindicato, família e amigos.

Para o sindicato, chega a ser “assédio mortal” para alguns trabalhadores.

Relações Sindicais do Bradesco 
Durante a mobilização na agência Regional do Bradesco, diretores participavam de reunião em Osasco (SP) com a gerente de Relações Sindicais, Eduara Cavalheiro. O presidente do Sindicato, Douglas Yamagata, e o diretor Sandro Bacan foram acompanhados por Wanderson Romolo Machado, funcionário do banco e diretor do Sindicato de Bragança Paulista. Eles informaram que estão sendo registradas denúncias em várias cidades.


Douglas Yamagata contou que o Sindicato jamais teve uma situação semelhante a essa com um gestor regional. “De todos os gerentes regionais que passaram recentemente, nunca chegamos neste patamar vivenciado com o atual regional. Sabemos sobre a conduta dele em outros lugares em que passou e pelo jeito não foi diferente. As denúncias são pesadas e por este motivo solicitamos ao banco que se tome uma providência imediata.”, disse.

O diretor do Sindicato de Bragança Paulista disse que o banco perde muito com a postura agressiva de alguns gestores. “A regional de Jundiaí sempre esteve no topo da lista em vendas. Atualmente, desceu no ranking, comprovando que a conduta de pressão por metas não funciona, justamente porque desmotiva os empregados”. De acordo com Wanderson, as denúncias evidenciam a falta de liderança e gestão motivacional.

Para a gerente Eduara Calheiro, o canal aberto de comunicação entre o Sindicato e o banco é de suma importância, possibilitando uma resolução de forma equilibrada.